Artigos
AUMENTAR A IMUNIDADE

O que fazer para aumentar a imunidade do organismo?

O que fazer para aumentar a imunidade do organismo?
Como o nome já diz “sistema” depende de muitas variáveis para um bom funcionamento. Esta afinação está diretamente ligada à boa nutrição e hábitos saudáveis, como uma boa noite de sono e a prática de atividades físicas.

Evidências epidemiológicas demonstram que o exercício moderado aumenta a resistência às infecções, no entanto, o treinamento muito intenso pode induzir à imunossupressão e aumentar o risco de infecções em atletas.

Doenças crônicas, carência de vitaminas e estresse também podem interferir no funcionamento do sistema imunológico.

A idade é outro fator que desencadeia a baixa da imunidade. O idoso pode ter uma frequência aumentada de doenças infecciosas. Com o avanço da idade, existe uma diminuição no numero de células T ou Linfócitos T (um grupo de glóbulos brancos responsáveis pelas defesas do organismo), mas a boa notícia é que existem maneiras de tentar equilibrar essas perdas gradativas. O uso de vitaminas e suplementos pode ajudar a reforçar o sistema imunológico.

Abaixo trazemos alguns daqueles que podem fortalecer seu organismo, mas vale ressaltar: quando identificado uma debilidade na imunidade, o importante é buscar usar produtos ja consagrados tanto no Brasil quanto no exterior. 

L-GLUTAMINA

Aminoácido livre mais abundante no sangue e no tecido muscular, a l-glutamina é nutricionalmente classificada como um aminoácido não essencial, ou seja, pode ser sintetizado pelo organismo a partir de outros aminoácidos.

A L-glutamina irá atuar de diversas formas no sistema imunológico: como fonte energética pelos leucócitos (células de defesa); na síntese de glutationa (principal e mais potente antioxidante do organismo) e como fonte de energia para os enterócitos (células intestinais), impedindo a entrada de patógenos pelo intestino.

A correlação entre l-glutamina, sistema imunológico e exercício físico está atrelada ao fato de que a prática de exercícios por si só gera um estresse aos músculos para que o desenvolvimento muscular, objetivo dessa atividade, aconteça. Essa característica induz o aumento da atividade das células de defesa, que por sua vez, precisam de l-glutamina para manutenção de suas funções. A prática de exercícios físicos intensos e prolongados pode reduzir a oferta de l-glutamina e assim estar envolvida no aparecimento de doenças do trato respiratório, como gripes e resfriados. A suplementação com l-glutamina tem sido estudada como uma alternativa de atenuar ou até mesmo reverter tais eventos induzidos pelo exercício físico, assim como em outros casos de estresse ao organismo, por exemplo, cirurgias em geral e, principalmente, as de grande porte.

ZINCO

 

Estudos têm demonstrado que a deficiência de zinco está relacionada com uma suscetibilidade maior a infecções devido ao prejuízo no sistema imune.

O zinco é um mineral que exerce papel importante na imunidade uma vez que as células do sistema imune contêm enzimas que são dependentes do zinco para um funcionamento adequado, ou seja, sua deficiência provoca uma diminuição na produção das células de defesa do organismo. Além disso, o zinco é um antioxidante e anti-inflamatório que dá suporte aos efeitos exercidos sobre o sistema imune.

O estresse aumenta a excreção de zinco, por isso uma alimentação rica em fontes desse mineral, tais como carne bovina, peixes, aves, leite e derivados, farelo de aveia, feijão, é importante, assim como uma avaliação nutricional adequada realizada por médico ou nutricionista que irá determinar as reais necessidades de suplementação, principalmente em épocas propícias ao aparecimento de doenças respiratórias como o inverno.

VITAMINA C (ÁCIDO ASCÓRBICO).

Melhora a imunidade: A vitamina C aumenta a produção de glóbulos brancos, células que fazem parte do sistema imunológico e que tem a função de combater microorganismo e estruturas estranhas ao corpo. O nutriente também aumenta os níveis de anticorpos no organismo. Assim, o nutriente ajuda a fortalecer o sistema imunológico, deixando nosso corpo menos suscetível a doenças.

Um estudo publicado no Annals of Nutrition & Metabolism observou que a vitamina C de fato melhora o sistema imunológico. Outras pesquisas também observaram os mesmos resultados.

VITAMINA D

A vitamina D3, ou colecalciferol, tem sido alvo de um número crescente de pesquisas nos últimos anos, demonstrando sua função além do metabolismo do cálcio e da formação óssea, incluindo sua interação com o sistema imunológico. Estudos sugerem que sua ação imunomoduladora é exercida sobre as células de defesa do organismo, em especial os linfócitos, bem como na produção de diversas citocinas (proteínas que modulam a função de outras células).

Atualmente, grande parte da população possui deficiência de vitamina D3 sem sequer ter conhecimento disso, ou seja, não diagnosticada. A suplementação de vitamina D3 é um tratamento considerado barato e seguro com inúmeros benefícios, incluindo a capacidade de prevenir doenças relacionadas ao trato respiratório, como gripes, resfriados, pneumonia ou bronquite, tão comuns no inverno.

Já existe no Brasil, suplementos que possuem todos ingredientes em sua formula: biodefender , imunofort, e outros

Alicina (ALHO)

A suplementação com cápsulas de alho é conhecida por melhorar o funcionamento do sistema imunológico. Um estudo de 12 semanas concluiu que um suplemento diário com cápsulas de alho reduziu o número de resfriados em 63% comparado ao placebo.

A duração média dos sintomas do resfriado também foi reduzida em 70%, de cinco dias no placebo para apenas um dia e meio no grupo do que consumiu as cápsulas de alho.

Hoje no Brasil contamos com muitas industrias com suplementos prontos com formulas prontas, o que facilita o usoe gera grande economia financeira. 

 

O que Evitar

 

 

Estudos comprovam que dietas com grande quantidade de açúcares interferem na capacidade de as células brancas do sangue destruir os invasores. A ingestão excessiva de gorduras também reduz a atividade de células protetoras e prejudica a resposta imunológica.

 
“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site 

 

 
 

 

 
120613113213.jpg
Equipe InfoCaps
redacao@infocaps.com.br

InfoCaps 2012 ® - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por: Mind Design & Paulo Godoy

Cadastrar Remover